19 de abril de 2011

Invernos

Lamento que todos os dias te esqueças que a estrada por onde andas é o tecto que abriga o meu coração. Tanto que o pisas, que se desfaz aos poucos. E no inverno... no inverno eu só queria um pouco do teu quente quando me dás as mãos e me dizes que não preciso de ter medo de ser feliz. Porque quando o amor te toca, eu fico perfeita rendida nos teus braços. Caso contrário, continuas a pisar-me o coração como se nem te lembrasses que já lá moraste um dia e que quando tens frio é para lá que foges.

A ti, Inverno 16.

19 comentários:

incógnita disse...

está muito bonito, apesar de triste..

Maria Filipa disse...

perco-me pequena <3

carina, disse...

obrigada! estou a seguir ;)

Maria disse...

luisinha, luisinha, já não sei o que seria de mim sem estes rasgos de céu que são as tuas palavras. sempre enorme, tão enorme.

kosh disse...

lui?

kosh disse...

esta tudo bem?

maria inês disse...

bem, o teu blog é qualquer coisa!

kosh disse...

nao sei, sinto...

ana moura disse...

luisinha, sempre um amor. obrigada!

Joana disse...

não sou capaz de ir embora **

jo disse...

lindo, absolutamente lindo.
adorei*

Edgar Alves disse...

:')"e que quando tens frio é para lá que foges." rendi-me

Lu disse...

:o apaixonei-me por este texto.
Um pouco triste mas está lindo, sweet Lui *.*

Sílvia Macedo disse...

amo, completamente. Arrepias-me de uma forma Luí. continua assim!

ana moura disse...

há tanto tempo que ando por aqui e como é possível não ser tua seguidora? :')
<3

ivone silva. disse...

és tão profunda...adoro!

Mafalda disse...

É lindo o que escreves, é lindo vir aqui ler-te*

Patrícia Costa disse...

Já não há palavras, ela são sempre tão poucas para ti <3

saraviana disse...

tão lindo, tão lindo! vou seguir*