27 de julho de 2011

Raquel em dias frios

E todos os dias aprendemos, sozinhos ou com alguém. Chegamos a conclusões sem factos, sem argumentos, apenas conclusões cheias de vontade e desejo de acontecerem. Parece-nos tudo surreal, vivemos e exigimos demais de nós e de quem nos rodeia. Construímos futuros risonhos em cima de pessoas, e esquecemo-nos que de nada nos são obrigadas a dar ou recompensar por todo o amor - quando o há. E chega perto a desilusão. Tira-nos o folgo e mata-nos dia para dia, porque é escura e deixa-nos cega. Caímos, tropeçamos. E não deixamos os erros para trás. Continuamos adormecidos, no chão que é a desilusão. As mãos vão à cabeça e perguntamo-nos mil vezes onde nos fomos meter. Mas as respostas não chegam, o abismo não tem nome. Sem nome mas com a forma dos nossos dias, tão tristes e desoladores. Sempre à espera, sempre à espera... À espera que alguém volte pra casa, e que nos abraça. À espera de voltarmos a ser importantes,e desejados. À espera de tudo. Sem sequer querer saber que viver não pode ser deixado para segundo plano, que sobreviver é morrer a cada minuto, que sorrisos guardados são jogados no lixo, que o inevitável está previsível e guardado no coração. Sem sequer querer saber do inesperado. Vivemos ansiosos, à espera de tudo. E aí a vida não pula, não avança. Não nos surpreende. Porque estamos demasiado crentes, demasiado confiantes, demasiado futuristas, demasiado convencidos que o mundo é nosso e faz o que queremos. Mentira. É aí que todos caímos. Sem excepção, caímos todos. Perdidos, tão perdidos. E talvez a vida esteja à espera de nós, menos do que nós esperamos dela. Talvez a vida não exija tanto de nós quanto nós teimamos exigir dela - custe o que custe. Talvez o inesperado seja a melhor coisa do mundo, e saber respirar até ele chegar seja a melhor atitude que possamos tomar. Embora custe, embora seja fácil escrever e ditar o que melhor seria pra nós que pisamos a desilusão, é sempre de extrema violência exigir que tudo aconteça aos nossos pés, rápido à força dos nossos desejos. Saber esperar, ser-se paciente é o segredo... Mesmo que a saudade acorde contigo todos os dias. Mesmo que a saudade acorde comigo todos os dias.

25 comentários:

beatriz disse...

está tão tão lindo

beatriz disse...

está tão tão lindo

carina rodrigues disse...

adorei, está lindo!

annie disse...

escreves tão tão tão bem. que riqueza.

Rute Maia disse...

adoro a forma como lidas com as palavras, adoro!

annie disse...

oh, a sério? por um lado, é óptimo saber isso, significa que tem impacto para alguém e isso é a melhor coisa. mas por outro, quero é que sorrias, muito.

carina rodrigues disse...

mesmo!

Maria Filipa disse...

está tão lindo luísa *

Incógnita disse...

e tudo isso é a vida...no entanto não sabems lidar com ela

Lu disse...

"Porque estamos demasiado crentes, demasiado confiantes, demasiado futuristas, demasiado convencidos que o mundo é nosso e faz o que queremos. Mentira. É aí que todos caímos."

acho maravilhoso *.*

Maria disse...

ohhh, não fazes ideia do aconchego que encontro aqui, em ti, Luisinha.

Dommin disse...

Eu leio as tuas histórias! Estou a seguir :)*

ines disse...

admiro a maneira como vês a vida, como encaras tudo sempre com uma ponta de esperança de que tudo tem solução, a maneira como encontras as palavras certas para te expressares. és linda luisinha, tão linda

joana disse...

"Sem sequer querer saber que viver não pode ser deixado para segundo plano, que sobreviver é morrer a cada minuto" e "Vivemos ansiosos, à espera de tudo. E aí a vida não pula, não avança. Não nos surpreende. Porque estamos demasiado crentes, demasiado confiantes, demasiado futuristas, demasiado convencidos que o mundo é nosso e faz o que queremos" estes excertos são a prova que és uma pessoa linda e que pensas o mesmo que eu. obrigada por isto! já queria ter dito estas tuas palavras a muito.

joana disse...

mesmo que a saudade acorde connosco todos os dias* que força que me deste

Anônimo disse...

www.everythingbylove-p.blogspot.com (filipa)
mais um exemplo de plágio por estes blogs

♥ marta. disse...

escreves sempre algo fantástico. SEMPRE.

Emmeline disse...

plágio por parte de quem? nao encontrei lá nada meu, a não ser que tenha sido retirado.

joana disse...

podes podes podes. sou então a tua pequenina, e o que quiseres chamar. gostei tanto tanto de ler o que disseste,mil obrigadas,a sério <3 e então está visto que fazemos uma pela outra. dou-te coragem e força a ti,e tu das-me a mim. tão bom não é?

joana disse...

é que é mesmo isso,sem retirar nem por. e como eu gosto de ti :)

Lipincot Surley disse...

ah, gostei de descobrir.. vou seguir,à espera de mais segredos.

LS

Lu disse...

É, eu tento ver da forma que gostava, nao da forma que é. É mais dificil assim mas há dias em que sabe melhor...:)

Patrícia Costa disse...

Autentica!

Beu Santos disse...

Está lindo <3
"Mesmo que a saudade acorde comigo todos os dias."

inês disse...

juro que gostei tanto disto.