5 de fevereiro de 2013

15h da tarde

Acho que não passava das 15h da tarde. Mais minuto, menos minuto. Tenho quase a certeza que eram 15h da tarde quando me apaixonei por ti. Tenho quase a certeza que eram 15h da tarde quando te apaixonaste por mim. Tenho quase a certeza que não foi mentira.
Eu tinha quase tanta certeza de tudo. Tinha o mundo e a vida pronta para nós os dois. Era muita a certeza. Mas nunca descobri porque a tinha, de onde vinha e para onde fugia quando queria falar?..só, somente, falar. Nunca percebi porque queria ter tanta certeza das coisas, se as coisas, no fim de contas, nunca eram assim tão certas. Nem nunca entendi a relutância que tinha em não querer-saber. Eu queria sempre saber, queria sempre ter a certeza. Como se ela fosse um bilhete meio rasgado, meio perfeito. Um bilhete que andava na minha mão e quase sempre me fazia sorrir. Porque eu tinha quase a certeza quando sorria. E foi por não a ter toda, que desisti de perceber. Levantei os meus pés e eles foram devagar pelo destino que lhes estava traçado. E esse, eu tenho tanta certeza que será o melhor para mim.

Claire coração cheio

5 comentários:

disse...

Eu costumo dizer "mesmo que não seja o caminho feliz é o mais correcto para nós." E é mesmo. No final, está sempre o sorriso, de braços abertos para te receber. Como eu...

...e obrigada. :)

Lipincot Surley disse...

que verdadeiro. quase tenho certeza que Claire está melhor agora.*

IC disse...

que lindo, adorei!

cláudia disse...

e são as certezas que nos fazem continuar. muitos sorrisos para ti minha querida*

Leandra Cunha disse...

tens-me aqui:)