12 de junho de 2011

Legitimidade



- As pessoas não deviam de precisar de outras pessoas.
- Nem essas pessoas de outras.
- Ou umas das outras e as outras de outras.
- Não devíamos mas precisamos, e temos saudades. Tenho saudades.
- Quão legítimas serão as saudades do que não desapareceu?
- A intensidade com que nos pertencem quando estão junto de nós.

(...)

21 comentários:

ana moura disse...

as saudades são uma matéria muito complicada de entender

ines disse...

todos nós nos cansamos, mas nem todos somos como pássaros...
está um docinho luisinha, saudades é que nao são docinho nenhum

joana disse...

também estive para comprar esse para o baile a que fui, mas a minha mãe convenceu-me a não ir de preto, enfim. estavas um amor.

han yongkyo disse...

fiquei deliciada com a complexidade desse diálogo.

annie disse...

"a intensidade com que nos pertencem quando estão juntos de nós.", uau.

Maria disse...

Não, não digas isso. Estou a milhas de distância disso, Luisinha - da utopia. Mas tão longe que por momentos as tuas palavras deixaram de fazer sentido. Eu limito-me a ver as coisas como elas são, sabes? Tento não as florear, não as embelezar ou, por outro lado, não as azedar. E queria eu ser a dona dessa verdade e desse conhecimento, mas no fundo, no fundo pouco ou nada sei. E às vezes sinto-me tão pequenina neste mundo que tantas vezes deixa a desejar que tudo perde um bocadinho o brilho. E depois venho cá, e leio-te e lembro-me que há encanto onde menos esperamos. Também eu acho que não devíamos de precisar dos outros. Não devíamos de precisar de seres que, tantas vezes, têm mais de egoísmo do que de amor. Mas bem, somos mesmo assim, não é?

s. disse...

o pior é quando não aguentamos as saudades de quem nunca mais voltará

s. disse...

thank you Emmeline *

Sílvia Macedo disse...

É um bocado dificil esta minha situação, confesso. Mas aprender é algo que tenho tentado fazer. Mas sabes, quando na matemática te ensinam mil e uma formulas para resolver um problema e chegas ao fim e até nem te ajudou em nada?pronto. acontece-me isso

ivone silva. disse...

oh...gosto tanto!

matilde valentim disse...

pões-me sp a pensar...

carina, disse...

adorei **

joana disse...

nem sabes como adorei ler os teus comentários <3 ainda bem que te inspiro,é so isso que quero. e este dialogo está perfeito,complexo mas perfeito.

Maria Filipa disse...

"Quão legítimas serão as saudades do que não desapareceu?" lindo *

carina, disse...

fogo disses-te tão bem agora! perfeito

nés, disse...

PERFEITO! fofinho e ao mesmo tempo tão frio e sério, só mesmo tu.

MF disse...

Adorei *.* estou a seguir acompanhas ?
mil beijinhos

jezebel disse...

um dia, gostava de estudar por completo os sentimentos do ser humano.
havia muito que tinha que ser explicado, nomeadamente esta matéria das saudades, que custam, custam tanto :$

matilde valentim disse...

é fantástico, genial;)

abc disse...

Muito bonito :)

Mariana disse...

boa resposta, muito boa resposta! fantástico:)