29 de junho de 2011

Sou eu

Olha.. sou eu, a Raquel. Tenho andado a observar-te -não como antes mas... Esse mundo que não sabes bem como sair dele, tornou-se a vida que levas e a infelicidade que trouxeste para os teus dias. Não é estranho? Passar-se de bestial a besta? Cai a máscara e a porcelana parte-se. Em estilhaços. Não é tão estranho? Viveres sem vontade? Sem vida nos teus dias, sem amor dentro de ti, sem a alma a fervilhar. Sem o corpo a mexer. Sem a mente a precisar de respirar.. respirar algo novo. Algo fresco. Algo puro. Mas ficas mudo. Nesse mundo, sem nome nem morada. Nessa queda que é o abismo, nesse fumo sem tabaco, nessa droga sem vício nem consumo. Ficas preso e nada te salva? Abre os olhos, cuidado com as quedas, porque eu caí demais e conheço bem a tua rotina que hoje levas.

14 comentários:

raquel disse...

Está lindo, lindo!

Maria disse...

Não sou, na verdade, não sou nada. E é muito. É muito estranho, Luisinha, quando caímos nesses mundos que nunca ninguém parece ver. É frio e azedo e perfura-nos como lâminas. Sinto-me bem sempre que cá venho, mesmo quando encontro estes pedaços quebrados mais doridos.

ana moura disse...

e não ficarei

Janete Conceição disse...

há pequenas palavras que nos marcam, e as tuas são umas delas.

Maria Filipa disse...

fantástico pequena *

Maria disse...

Sendo assim, ainda bem! Mas não um "ainda bem" banal, daqueles que se dá quando a indiferença não nos larga. Um "ainda bem" do fundo do coração - é que és demasiado boa para que te quebrem assim.

raquel disse...

achas que eu sou fria de sentimentos?

♥ marta. disse...

está demasiado perfeito, para apenas merecer tal palavra... super perfeito. *

joana disse...

podes-me dizer porque é que és sempre tão querida? ler o que dizes aquece-me o coração,mesmo

Janete Conceição disse...

acredita que adoro as tuas palavras, a maneira como te expressas. e ao ler(-te) sinto que há sempre qualquer coisa que se encaixa na minha cabeça, ou até na minha vida.

ines disse...

oh luisinha, que bela raquel que criaste

Maria Filipa disse...

obrigado luisinha *

Maria disse...

ohhh, foi das coisas mais bonitas que me disseram. Sinceramente, já não sei o que seria de mim sem os teus beijinhos na alma, Luisinha.

joana disse...

é verdade,preciso mesmo. e já percebi que és uma mãos largas,no bom sentido. e é bom que exista gente como tu neste mundo