15 de fevereiro de 2012

"problema de expressão"

É como ter medo, sem que haja nada a temer. Um fundo sem princípio. Um copo tão vazio quanto cheio. Um pássaro que já não sabe voar, mesmo que o caminho não tenha mudado. Um resto de nada, mergulhado em amor... quase tudo. E restamos nós, sem saber um do outro. Um quase nada, num mundo tão cheio. Com mãos geladas embrulhadas em paixão. Um vida que deixámos de saber.
Raquel

11 comentários:

M. disse...

que lindo!

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

amei!

inês disse...

nunca deixes de saber a vida, luisinha

annie disse...

mãos frias, coração quente.

Maria Filipa disse...

ternura, sempre ternura *

L' disse...

adoro, adoro.
um dia hão-de voltar a saber um do outro, a encontrar-se na imensidão do tempo. um dia, vão voltar a ser felizes.

Mariana disse...

"Um vida que deixámos de saber." mais um apaixonante...

Cárina disse...

venho a este blog e fico maravilhada com esta escrita! adoro, está lindo!

mary disse...

oh raquel, como és encantadora. tão tu emmeline.

Lu disse...

A-mo!

inês disse...

:') sempre do coração